Sindicato Nacional dos Trabalhadores
em Atividades Subaquáticas e Afins
Na designação da nossa missão, só temos como opção a vitória!

Uma vez que a respiração no nível celular continua ocorrendo enquanto houver demanda de oxigênio suficiente nos pulmões, mesmo sem o contato com o ar atmosférico, os seres pulmonados podem sobreviver em apnéia durante alguns minutos. Algumas baleias podem permanecer em apnéia por mais de 60 minutos, enquanto que os seres humanos, em média, suportam cerca de 2 minutos. Alguns atletas especialistas conseguem ultrapassar os 5 minutos, mantendo a lucidez.

Apnéia pode também designar um esporte que abrange diversas modalidades, as quais consistem basicamente no atleta permanecer o maior tempo submerso ou percorrer a maior distância ou profundidade sob a água e sem o auxílio de equipamentos para a respiração, ou seja, apenas com a reserva de ar de seus pulmões. Este esporte também é chamado de mergulho livre e pode ser praticado em piscinas, rios, lagos ou no mar. 

 

A atividade de mergulho profissional, como qualquer outro tipo de mergulho onde se respira o gás comprimido, requer o cumprimento de regras e normas pré-estabelecidas. Normalmente esta atividade é supervisionada por um mergulhador designado supervisor de mergulho (raso ou profundo), que é o responsável por controlar todas as operações e tomar as devidas precauções aplicáveis às circunstâncias, para a segurança dos mergulhadores. Com base em tabelas de mergulho o supervisor de mergulho decide face à profundidade, qual a duração de um trabalho subaquático, os níveis dos patamares de descompressão, bem como o tempo a permanecer em cada um deles.

Esta supervisão tem em vista a segurança do mergulhador relativamente à exposição ao nitrogênio, no caso do mergulho raso, ou ao hélio (ou a outros gases inertes), no caso do mergulho profundo, e a sua consequente absorção pelos tecidos do corpo humano. A quantidade total de nitrogênio ou outros gases absorvidos é tanto maior, quanto maior for a profundidade e duração do mergulho. Deve também garantir que, no fim do trabalho, a subida se faça a uma velocidade controlada, garantindo que sejam efetuadas paradas para que a descompressão gradual e progressiva da carga gasosa, até se atingirem níveis seguros de concentração residual de nitrogênio ou outros gases inertes, que foram absorvidos pelos líquidos e tecidos do corpo humano, de forma a evitar doenças descompressivas, como embolia gasosa arterial, barotraumas, etc. Nota: A descompressão nada mais é do que a eliminação do gás inerte respirado, através da respiração (pulmões). O mergulhador profissional tem que ser qualificado e legalmente habilitado para a realização de trabalhos submersos, cursados em Escolas Credenciadas pela Autoridade Marítima Brasileira. 

 

No mergulho profissional comercial existem duas classes de mergulhadores:

- Mergulhador Raso: Profissional qualificado para mergulhar até a profundidade de 50 metros, com emprego de equipamento autônomo e dependente, onde a fonte de respiração é o ar atmosférico natural comprimido. 

- Mergulhador Profundo: Profissional qualificado para mergulhar nas profundidades superiores a 50 metros, com a utilização de sinete, sino aberto ou sino fechado e utilizando de uma mistura gasosa artificial como fonte de respiração.